Instituição expande atenção a comunidades e realiza 192 mil atendimentos em 2017

 

A população da capital paulista ganhou mais atenção e solidariedade no último ano. Em 2017, a Cruz Vermelha Brasileira - filial de São Paulo ampliou a ajuda humanitária na cidade, realizando 192 mil atendimentos, como exames de saúde, ensino de primeiros socorros, atividades educativas e recreativas, doação de alimentos e roupas e prevenção de acidentes em comunidades.

A instituição que antes atendia 84 comunidades e instituições passou a beneficiar 116 locais, integrando importantes locais como Comunidade do Vietnã, Jardim Damasceno, Jardim Pantanal e Comunidade Anita Garibaldi. Foram entregues para os parceiros 142,7 toneladas de donativos, dentre roupas, alimentos, calçados, itens de limpeza e de higiene pessoal.

A tradicional Campanha do Agasalho bateu recorde de arrecadação com 20 toneladas de peças, o dobro da meta inicial estabelecida. Os donativos foram entregues para 42.934 pessoas.

O acesso à saúde e aos primeiros socorros também cresceram. Em diversos mutirões de saúde, foram realizados 22 mil atendimentos de aferição de pressão e glicemia, exames de dermatologia e oftalmologia. A instituição também capacitou novos instrutores de primeiros socorros e multiplicou os conhecimentos em empresas, bairros e escolas da capital.

Seguindo a tendência mundial de formar lideranças jovens, a Cruz Vermelha de São Paulo lançou o Embaixadores da Juventude. O projeto tem como objetivo empoderar estudantes de ensino médio e debater assuntos relacionados aos direitos humanos. A iniciativa foi premiada internacionalmente pela Federação Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho.

Todo o trabalho ao longo do ano foi possível por conta do empenho dos 400 voluntários da instituição. Em 2017, foram contabilizadas 43 mil horas de trabalho voluntário, crescimento de 46% em relação ao ano anterior (29.347 horas).