Cruz Vermelha integra Plano Chuvas de Verão e coordenará as ações de voluntariado

Plano lançado pela Prefeitura tem como objetivo a integração de órgãos para evitar os transtornos provocados pelas chuvas fortes, como alagamentos, escorregamentos e quedas de árvores

 

Com informações da Secretaria Especial de Comunicação

A Cruz Vermelha Brasileira de São Paulo – organização centenária de ajuda humanitária, será o ponto central de voluntariado durante as ações do Plano Chuvas de Verão (PCV), lançado nesta quarta-feira (29), pela Prefeitura de São Paulo. A entidade será a responsável pela captação e gestão de voluntários, além da arrecadação e doação de materiais. Mais de 500 voluntários poderão ser mobilizados.

“Estamos prontos para atuar e, em caso de necessidade, vamos mobilizar voluntários e outras organizações para a ação imediata nas situações de emergência”, disse Tiago Seballo, coordenador de Socorro e Desastre da instituição paulista. “Trabalhamos em parceria com a Defesa Civil. Está no nosso DNA a atuação como braço do poder público, para amenizar o sofrimento de pessoas em situação de risco e vulnerabilidade”, completou.

Além do suporte na assistência às vítimas e na gestão de voluntários, a Cruz Vermelha auxiliará, em caso de necessidade, na abertura e gestão de abrigos.

O Plano Chuvas de Verão

O PCV integra 11 secretarias municipais e órgãos do Governo do Estado em ações para evitar os transtornos provocados pelas chuvas fortes, como alagamentos, escorregamentos e quedas de árvores. Todas as ações serão coordenadas conjuntamente durante 24 horas no Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), na Luz.

O plano também contempla ações conjuntas envolvendo o Corpo de Bombeiros, Defesa Civil Estadual, Polícia Militar, Polícia Civil, Departamento de Águas e Energia Elétrica (DAEE), Companhia do Metropolitano de São Paulo (Metrô), Empresas Metropolitanas de Transportes Urbanos (EMTU), Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) e AES Eletropaulo.

Para o verão de 2017/2018, o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE), órgão da Prefeitura que monitora as condições climáticas da cidade, prevê um verão com chuvas dentro da média histórica para cada mês. São esperados 193 milímetros de chuva em dezembro,256,5 mm em janeiro,219,2 mm em fevereiro e 177,2 mm em março.

A Prefeitura conta com a ajuda da população para minimizar os riscos trazidos pelos alagamentos, muitas vezes causados pelo descarte irregular de lixo na cidade. “Fica aqui o meu apelo para que a população não jogue lixo na rua e nem deposite nas calçadas restos de móveis, dejetos e itens que você queira descartar. Telefone para a Prefeitura Regional, existem áreas de descarte e de recolhimento em dias e horários marcados. Se você tratar a cidade com educação, teremos menos enchentes nas chuvas de verão”, disse o prefeito João Doria.

Aplicativo SP + Segura

Durante a apresentação do PVC, foi lançado o aplicativo SP + Segura, que servirá para trocas de informações entre a população e o governo municipal no momento e no horário das chuvas, assim que houver uma situação de risco. O aplicativo funciona por geolocalização do usuário e informa a situação no local em que ele está.

O PCV inicia em 1º de dezembro de 2017 a 31 de março de 2018, podendo ser prorrogado conforme as condições climática