Crianças assistem à ópera pela primeira vez com a Cruz Vermelha

Mais de oitenta crianças assistiram ao espetáculo A Flauta Mágica, estrelado pelo Coro Lírico Municipal de São Paulo. Iniciativa fez parte das ações da Semana da Criança

A Cruz Vermelha de São Paulo comemorou o Dia da Criança com uma programação cultural intensa ao longo da última semana.

Nesta terça-feira, 18 de outubro, encerrou as atividades levando mais de 80  crianças e adolescentes  de comunidades em situação de vulnerabilidade para assistir ao espetáculo A Flauta Mágica.

Estrelada pelo Coro Lírico Municipal de São Paulo - formado por cantores que atuam regularmente como solistas nos principais teatros do país, a apresentação aconteceu no Paço das Artes, anexo ao Theatro Municipal, especialmente para as crianças vinculadas ao Centro para Crianças e Adolescentes da Jova Rural, na zona norte da cidade.

Manuele Yasmim dos Santos, de 10 anos, nunca havia visto um piano e ficou impressionada com a imponência do instrumento. Caique Henrique Fernandes, de 12, gostou da mistura da interpretação com o canto lírico: “Adorei as músicas e a parte em que os animais vieram passear na plateia”, descreveu.

Ariana de Lima Nakamura, da Associação de Mulheres Amigas da Jova Rural, que acompanhou a iniciativa, entende a arte como um elemento transformador na vida destas crianças. “Queremos aproximar a arte das crianças, propondo novas possibilidades, olhares diferentes. Tudo isso é conhecimento e precisamos facilitar este acesso”, explica. 
"Este ano incrementamos nossas atrações para a semana da criança e preparamos diversas atividades educativas e culturais. Foram dias de muita diversão com os nossos voluntários!",  complementou Aline Rosa, gerente de projetos sociais e voluntariado da Cruz Vermelha Brasileira, filial do Estado de São Paulo.

A entidade promoveu entre os dias 5 e 18 de outubro atividades como oficinas, passeios, recreação, entrega de presentes e contação de histórias beneficiando mais de mil crianças de diferentes instituições, como o Centro de Acolhida ao Imigrante do Serviço Franciscano de Solidariedade, a Fundação Norina Nowill e a comunidade da Paróquia Nossa Senhora do Loreto, entre outras.