Casa do Aconchego completa um mês e melhora a qualidade de vida dos idosos

 

A Casa do Aconchego completou um mês de existência e os voluntários da Cruz Vermelha de São Paulo já tem muito a comemorar. O primeiro projeto contínuo que atende idosos em situação de vulnerabilidade social tem superado expectativas e já mostra melhorias reais no bem-estar dos atendidos.

Nas primeiras quatro semanas de funcionamento, a instituição já conseguiu melhorar o bem-estar de muitos participantes. Ao todo, foram feitos 66 atendimentos. “Estamos felizes em ver como estão caminhando as coisas e como eles estão participando dos serviços e seguindo as orientações dos profissionais”, afirmou a coordenadora do Departamento de Primeiros Socorros e responsável pelo projeto, Priscila Biggi.

Por meio do projeto, os atendidos estão conseguindo uma maior visibilidade e chamando atenção para a questão do envelhecimento com saúde. “Nessa convivência com eles, percebemos que não é fácil chegar aos 60 anos, ainda mais em São Paulo e na situação de vulnerabilidade que eles vivem. Falta assistência em todos os aspectos e eles necessitam desse amparo”, disse Priscila.   

Resultados

A iniciativa está conseguindo melhorar o bem-estar dos participantes a cada semana. As dores fortes no joelho e o inchaço do braço que incomodavam a dona Maria Joana dos Santos, 67 anos, sumiram desde o início das sessões de acupuntura e terapia complementar. “Antes estava muito difícil abaixar para pegar alguma coisa ou quando precisava andar muito. O meu braço também já não está duro e consigo movimentar com tranquilidade. Tudo isso por causa do tratamento que estou fazendo.”

Dona Maria agora se mostra mais disposta e participa de todas as atividades. Na quinta-feira (17/11), não foi diferente. Além dos atendimentos de saúde, ela fez terapia ocupacional e confeccionou enfeites de natal artesanais. Enquanto esperava ansiosamente o início do Bingo, ela sorria para quem estava em volta e dizia se sentir “muito grata por estar aqui”.

Além da saúde física, o acolhimento oferecido pelos voluntários tem grande impacto na vida de cada um dos idosos. “O pessoal aqui é muito amoroso e me tratam como mãe ou avó. Me sinto muito bem todas as vezes em que venho na Casa do Aconchego e recebo esse cuidado”, contou Rosalina da Silva Nissiguti, 75 anos.

Ainda de acordo com Rosalina, o dia em que participa do projeto muda rotina diária de fazer tarefas domésticas. “Aqui fazemos coisas diferentes sempre. Hoje fiz esse colar com missangas que achei lindo. Foi difícil no começo porque estou com a vista um pouco ruim, mas consegui montar sozinha”, disse ela orgulhosa, enquanto exibia a sua mais nova bijuteria.

Faça parte

A Casa do Aconchego funciona as quartas e quintas-feiras, das 9h às 17h. Ao todo, são oferecidos 13 tipos de atividades, como cromoterapia, heiki, reflexologia podal, nutrição, psicologia, enfermagem, terapia ocupacional e outros. Os beneficiados passam por uma triagem multiprofissional e são orientados para as especialidades que melhor se encaixam com as suas vontades e necessidades.

O projeto está de portas abertas para receber ainda mais pessoas da terceira idade. Para participar, é necessário:
- Ter mais de 60 anos
- Ter disponibilidade para passar o dia na Cruz Vermelha (1x por semana)
- Ter interesse em ser assistido por 6 meses
Entre em contato com a gente pelo e-mail primeirossocorros@cruzvermelhasp.org.br
ou telefone (11) 5056-8790.